Notícias

Paulista F.C. inova com treinos onlines na base

22 de Abril de 2020 - Categorias de Base
Foto: Divulgação / Paulista F.C.

Foto: Divulgação / Paulista F.C.

Meu nome é Renan Schwartz Schwochow, tenho 25 anos e sou formado em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Trabalho com as categorias de base do Paulista Futebol Clube em Pelotas-RS há 3 anos. Atualmente estou com a categoria SUB-11 masculina.

Passamos por uma pandemia onde ainda estamos em processo de adaptação, não sabemos ao certo até quando e onde vai, mas creio que todos querem que passe logo e que tudo volte a ser como era antes, principalmente nosso futsal gaúcho.
Vejo inúmeros treinos feitos por equipes sendo realizados por meio online, principalmente o adulto, onde é de fácil acesso e de grande interesse, mas e a base como que fica? A criança necessita estar em contato com a bola e tendo obstáculos para aprender, seja na quadra, campo ou rua.

Treinos onlines estão sendo muito eficazes com os adultos e a criança que não tem acesso ao computar ou tablet? E as que tem este acesso, tem interesse? E as que tem interesse tem responsáveis interessados? Irei contar como está sendo a rotina neste período modelador que estamos vivendo.

Paramos dia 16 de março de 2020, mais de 30 dias sem utilizar a quadra, mas não paramos de comunicar-se, por meio de grupos online com os responsáveis mantenho o contato e interesse. No início foi complicado estar longe do ginásio e do barulho dos pequenos, mas com desafios e atividades mantemos as crianças ativas, até que começou a perder o interesse de ambas as partes, dos alunos que estavam praticando e dos pais que estavam gravando ou repassando tarefas.

Surgiu então a ideia dos treinos onlines, no mesmo dia e hora do treino criamos uma sala virtual que conversamos e assistimos lances de futsal. Nosso treino tem duração de 1h e 30min sendo realizado 3x por semana, os treinos onlines tem 1h de duração e 2x por semana. Funciona de modo geral bem, porém tem alunos que nem sabe onde fica esta sala e eu me pergunto, que culpa o aluno tem? Nenhuma. São crianças e consequentemente são dependentes dos responsáveis, é igual quando chegam atrasados, que culpa ele tem? Nenhuma. O garoto conta os minutos para estar dentro do ginásio, não quer se atrasar de jeito nenhum e se possível chegar antes para bater uma bola com os colegas.

As aulas funcionam de forma teórica, onde conversamos e analisamos lances de alguns jogos nossos e até mesmo de times de alto rendimento, não cobro nada prático nestas aulas. Deixo a parte prática para o meu auxiliar, que por meio de mensagens, encaminha exercícios de diversas qualidades, se todos fazem eu realmente creio que não, faz quem quer e tem interesse. De modo algum chega perto de estar na quadra, eu brinco comigo, que até o cheiro do ginásio é melhor do que do computador.

Espero voltar logo, pois estes meninos estão jogando pouco, consequentemente estão perdendo de adquirir conhecimento. O melhor jeito de aprender, creio que é jogando ou vivenciando o futsal e neste caso isto adormeceu por um tempo indeterminado. Saudade já está batendo forte, confesso que viver sem o futsal é difícil, muito mais do que ficar em casa.

Um forte abraço Sandro, siga fazendo este belo trabalho para nosso estado e pelo futsal.

Por Renan Schwartz Schwochow

Mais Notícias

    Aguarde, buscando...