Notícias

Consciŕncia Coletiva em Prol do Futsal

07 de Outubro de 2019 - Geral

Hoje terminaram as oitavas de finais da LNF 2019. Tive a oportunidade de assistir os 16 jogos, 12 deles em tempo real e 4 gravados. A LNF, os clubes e os atletas estão de parabéns, o nosso futsal é visto em todo o planeta e pessoas do mundo inteiro comentam situações, perguntam por jogadores e desfrutam com o equilíbrio da competição que é, sem nenhuma dúvida, a competição mais difícil de conquistar da modalidade em todo o planeta.

Para os pessimistas que falam que nossa LNF não é organizada, externo a minha opinião a respeito do que éramos e do que somos no critério organização e estrutura: desde 2015 até 2019 trabalho diretamente com os clubes, tendo visitado todas as estruturas do futsal nacional de alto nível e vejo uma evolução enorme tanto de clubes como na organização da LIGA (esse texto fala apenas em relação a essa competição).

Temos hoje um nível de inadimplência no que diz respeito a pagamento de salários de nível zero (até onde sei), clubes preocupados em investir em estrutura interna (quem não o faz está ficando para trás), torcidas apaixonadas, marketing das equipes melhorando (quem não faz está ficando para trás também) e o mais bonito de tudo é ver que todo mundo sonha em ganhar a LNF, ela tem favoritos, mas quem dormir roda na fase classificatória ou nas primeiras eliminatórias. Se sentir em condições de ganhar e não apenas entrar para competir dá um impulso importante em qualquer projeto e faz com que os gestores acreditem que os objetivos são alcançáveis quando bem planejados.

O que eu mudaria ou melhoraria? Tentaria encontrar uma maneira de ajudar os árbitros a utilizarem uma única maneira de atuar, privilegiando o jogo e o desenvolvimento do mesmo e sendo completamente combativos a tudo que afete o espetáculo que está sendo visto em todo o mundo. Isso se faz realizando congressos, dando boas condições de preparação e apoiando nas decisões deles que, como qualquer ser humano, erram e acertam. Melhoraria também a assessoria ao marketing dos clubes e fiscalizaria isso como Liga, não sei com qual fórmula, mas isso é importante porque hoje em dia todo mundo vive no celular, no computador ou na TV. Dar visibilidade aos patrocinadores e uma imagem impecável fortalece toda a EMPRESA FUTSAL. 

Por último gostaria de salientar algo que me chamou a atenção e me preocupou ao mesmo tempo: notei um excesso do uso da força em busca dos objetivos nessa eliminatória em quase todos os jogos. O produto final de tudo que se trabalha toda a temporada é o jogo, o que se vê ali é o resultado de tudo que se prepara no pré e no pós. Acho muito importante a educação nesse sentido, ganhar e perder faz parte mas temos que jogar e brigar no limite pelos objetivos DENTRO DO JOGO. Se nossos atletas, treinadores e organizadores desenvolverem essa consciência o céu e o limite para o nosso esporte.

Esse último parágrafo não é uma indireta a ninguém, e sim um apelo pelo espetáculo que foi maravilhoso nessas oitavas de finais mas pode e vai ser ainda melhor na próxima fase. Futsal se joga com treinadores na sua zona, árbitros atuando concentrados e os jogadores (que nos playoffs estão no ápice da forma física) focados em resolver os jogos através de suas qualidades físicas, técnicas e táticas. Viva ao futsal brasileiro e que venham os 8 grandes jogos das nossas quartas de finais.

Texto: Wone Futsal 

Mais Notícias

    Aguarde, buscando...