Artigos / Marcio Bariviera

Um dia perfeito

25 de Setembro de 2018

O dia perfeito já começa na noite anterior. O nosso amigo vai para a cama pelas onze, faz um sono só e acorda pelas sete da manhã, o que daria oito horas de descanso. Isso não apenas é excelente, como um bom sinal que o dia vai ser positivo.

A meta que ele precisa alcançar fica bem encaminhada quando, pela manhã, o cliente liga dizendo que possivelmente à tarde irá retornar com a confirmação. Expectativa à milhão.

Ao meio-dia, na fila do buffet do restaurante, ele olha três vezes para ter certeza: aquela namoradinha dos bons tempos da escola, época de tantos sonhos, o cumprimenta, o abraça e o convida para sentar com ela. Está solteira, assim como ele. Solteira e bonita. Números de telefones são trocados e ela sugere para se encontrarem mais vezes, tomar um mate, comer uma pizza, dar uma caminhada.

Ainda anestesiado pelo almoço inesperado, ele volta ao trabalho imaginando que só faltaria bater aquela meta para o dia terminar 100%. As horas passam e nada. Porém, quase às seis da tarde, como se fosse o gol do título aos 45 do segundo tempo, o cliente liga, fecha o negócio e a meta é alcançada. Que dia, senhores!

Para completar, à noite, no futebolzinho com os amigos, vitória e uma atuação de luxo. Na roda de cerveja depois do jogo, todos querem saber o que aconteceu para ele ter jogado tanto. Não era um perna de pau, mas a performance realmente foi acima do normal. Tive um dia excelente, nosso amigo responde humildemente.

Podemos considerar o último sábado como um dia perfeito para os times da região na Série Bronze. Todos venceram. Só uma queda brusca de rendimento irá tirar Guarani e Afucs das quartas de final, algo muito improvável devido à regularidade de ambos até agora. O Cometa voltou para a briga e, das últimas três partidas, fará duas em casa. Chances de classificação melhoraram bastante.

Nem sempre os dias podem ser perfeitos, mas quando eles acontecem, o bom mesmo é aproveitar. Como a última rodada da Bronze e também como o nosso amigo ali de cima, o qual ainda teve a cereja do bolo ao ligar o telefone após o futebolzinho: havia uma mensagem de oi. Adivinha de quem?

Marcio Bariviera

Colunista do jornal O Alto Uruguai e gerente administrativo do União Frederiquense, ambos de Frederico Westphalen-RS, além de aficionado por futsal. 

Mais Artigos

    Aguarde, buscando...