Artigos / Guilhermo Petrucci Verfe

Dificuldades no processo ensino-aprendizagem

22 de Novembro de 2017
Dificuldades no processo ensino-aprendizagem

Imagem: reprodução SporTV

De quem será a maior parcela de responsabilidade quando um atleta muito bem desenvolvido tecnicamente, não consegue desenvolver seu melhor jogo em níveis de exigência tática mais alta: Treinador ou jogador? Temos que ter muito cuidado ao considerarmos que o atleta A, B ou C, por ter dificuldade no processo de ensino-aprendizagem, não serve ou não conseguirá atingir um nível de maturidade tática que possibilite sua participação em disputas que exigem uma tomada de decisão muito apurada (maior exigência dentro do futsal).

Sabemos que quanto maior for o nível da competição que disputamos, por consequência maior será o nível dos nossos adversários, aumentando assim também o nível das exigências táticas para o bom desenvolvimento do jogo.

Dito isso, vamos refletir sobre o seguinte problema, que todos nós já passamos ou no mínimo escutamos colegas relatando ter passado: “Fulano é espetacular tecnicamente, mas taticamente tem dificuldade”, ou “Individualmente ele é muito bom, mas não entende o jogo”, ou ainda, “É peladeiro, em alto nível não vai conseguir jogar”.

Deixo ainda duas perguntas antes da sequencia do presente artigo:

1º O que é mais difícil: Tornar um atleta com deficiências técnicas, acima da média sob esse ponto de vista ou auxiliar um atleta já altamente capaz sob a esfera técnica, a perceber quais decisões potencializam a qualidade das suas atuações?

2º Quando um atleta com capacidades técnicas acima da media não consegue ter êxito no momento que as exigências táticas aumentam de quem seria a maior parcela de responsabilidade: Treinador ou jogador?

Num esporte que a tomada de decisão é o principal fator (como já vimos no artigo anterior) que torna atletas e equipes vencedores, é importante entender que todo o processo tático, seja ele com os conceitos que for, se apoia, para seu correto aproveitamento, nas corretas tomadas de decisões.

O processo de desenvolvimento da tomada de decisão se da de duas maneiras: Pela inteligência ou pelo instinto.

INTELIGENCIA: O atleta  executa as ações táticas com bola ou de ajuda a um companheiro com bola (apoio), por entender o que aquele movimento executado causou tanto na defesa adversaria como nas possibilidades de ataque da sua equipe, sabendo o porque executou aquele movimento e não outro, enfim executa e sabe explicar o porque executou.

INSTINTO: O atleta executa o movimento correto por ter vivenciado inúmeras vezes aquela situação e através de acertos e erros acabou encontrando a maneira mais adequada para sair da situação-problema, apenas reagindo ao problema, com base nas experiências que ele tem, muitas vezes não sabendo explicar o porquê executou tal movimento em detrimento de outro.

O treinamento do instinto dentro do futsal, nada mais é do que, criar um ambiente que oportunize ao atleta através de acertos e erros descobrir o que lhe beneficia em cada situação problema.

Sabendo que o instinto humano é treinável e que existem atletas que baseiam sua tomada de decisão na inteligência enquanto outros no instinto, será que se nosso treinamento estiver bem estruturado a ponto de estimular ao máximo esses dois grupos diferentes de atletas, não conseguiremos diminuir drasticamente a perda de talentos técnicos no futsal por não conseguir se desenvolverem taticamente? Mas isso já é assunto para o artigo da próxima semana – Fatores manipuláveis para tornar o treinamento rico do ponto de vista cognitivo -

E por ultimo faço mais uma vez a pergunta: De quem será a maior parcela de responsabilidade quando um talento técnico, não se desenvolve  taticamente?

Guilhermo Petrucci Verfe

Guilhermo Petrucci Verfe, treinador de Futsal, 33 anos. Licenciado e Bacharel em Educação Física pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA (CREF – 009251-G/RS). Especialista em Ciências aplicadas ao Futsal e Futebol de Campo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Habilidades complementares:

Analise do desempenho – Video Observer e Futsal Stat

Edição de Vídeos – Tactical Pad, Movie Maker e Adobe Premier

Controle do treinamento

Idiomas - Fluente em Espanhol

Formação complementar:

2003 – Preparação Física para o Esporte – GF Eventos

2003 – Treinamento de Futsal no Alto Rendimento – GF Eventos

2010 – Metodologia do Treinamento de Futsal – Joinville Futsal

2014 – Estagio para Treinadores de Futsal - JEC/KRONA

2015 – Futsal da Base ao Alto Rendimento – Unisport Brasil

2016 – Sistemas ofensivos do jogo 4-0 e 3-1 – Futbol – Tactico

2016 – A formação do jogador inteligente – PRONEO

2016 – Fórum Nacional para treinadores de Futsal – Unisport

2017 – Estagio no El Pozzo – Murcia Espanha

2017 – Estagio no Marfil Santa Coloma – Santa Coloma Espanha

2017 – Estagio no Movistar Inter – Madrid Espanha

2017 – Estagio no Barcelona – Barcelona Espanha

2017 – Estagio na Seleção Brasileira – Barcelona Espanha

Nos cursos citados acima foram acumulados experiências e ensinamentos dos professores João Carlos Romano, PC de Oliveira, Ferretti, Marcos Soares, Andreu Plazza, Joaquin Martin, Duda, Oscar Redondo, Jesus Velasco, Chicho, Cidão, Marquinhos Xavier e Bie.

Atuação profissional:

Esporte Universitário da Universidade Luterana do Brasil – ULBRA – CanoasRS

Acadêmicos da bola – CaxiasRS

Clube Atlético do Vale – ParobéRS

SapucaienseSot Log – Sapucaia do SulRS

Milionários – CachoeirinhaRS

Município de Canoas – CanoasRS

Associação União – PortãoRS

Município de Campo Bom – Campo BomRS

Unidos da Campina – São LeopoldoRS

Associação Guaibense de Futsal – GuaíbaRS

Associação Ibirubense de Futsal – IbirubáRS

Associação Tubaronense de Futsal – TubarãoSC

Conquistas coletivas:

Bi-Campeão da Copa Mercosur de Universidades – 2006 e 2007

Campeão da XIX Copa Independência – 2008

Campeão do Intermunicipal de Ararica – 2012

Campeão da Copa dos Campeões – 2012

Campeão da Copa Lavoiser – 2013

Campeão da Copa Sapucaia – 2013

Campeão da Copa dos Campeões de Esteio – 2013

Campeão do Aberto do Soberano – 2013

Terceiro Lugar no Estadual Serie Prata – 2013

Campeão da Copa World Ball – 2013

Vice-Campeão do JIRGS – 2013

Bi-Campeão Municipal de Portão – 2013 e 2014

Vice-Campeão do JIRGS – 2014

Campeão do Aberto de Dois Irmãos – 2014

Campeão da seletiva para a Copa dos Campeões – 2014

Campeão da Copa dos Campeões – 2014

Campeão do Estadual Serie Prata – 2014

Vice-Campeão da Super Copa dos Campeões – 2014

Vice-Campeão da Copa Alto Jacuí – 2015 e 2016

Quinto lugar no Estadual Serie Ouro – 2015

Quarto lugar no Estadual Serie Ouro – 2016

Campeão da Copa dos Campeões - 2017

Conquistas individuais:

Melhor treinador da Copa Sapucaia – 2013

Melhor treinador do Aberto do Soberano – 2013

Melhor treinador do Municipal de Portão – 2013 e 2014

Melhor treinador do Rio Grande do Sul – 2016

Integrante da equipe técnica da revista Futbol-Tactico - 2017

Mais Artigos

    Aguarde, buscando...